quinta-feira, 2 de abril de 2009

O poeta e a rosa



Ao ver uma rosa branca
O poeta disse: Que linda!
Cantarei sua beleza
Como ninguém nunca ainda!

Qual não é sua surpresa
Ao ver, à sua oração
A rosa branca ir ficando
Rubra de indignação.

É que a rosa, além de branca
(Diga-se isso a bem da rosa...)
Era da espécie mais franca
E da seiva mais raivosa.


Por Vinicius de Moraes

Um comentário:

Nina Ferreira disse...

Essas rosas, sempre voluntariosas.